Como proferir uma grande palestra científica

“Foi horrível”, diz Eileen Courtney. “Eu era apenas uma pilha de nervos. Não pude comer durante todo o dia anterior. Foi quando percebi que precisava superar meu medo de falar em público”.

Courtney é uma estudante no terceiro ano do doutorado que estuda interações entre metais e materiais semicondutores bidimensionais na Universidade de Limerick, na República da Irlanda. Seu momento de revelação veio quando ela foi contemplada à apresentar sua pesquisa em Congresso em Manchester, no Reino Unido, em julho de 2017.

A sensação de pavor que a perspectiva de estar no palco pode desencadear é familiar para muitos cientistas em início de carreira. Poderia ser induzido por um convite para uma conferência internacional, uma reunião de grupo acadêmico ou um evento de engajamento público. Ou pode ser causado por uma apresentação tão importante como parte de um processo de entrevista.

Embora as audiências e objetivos de uma palestra possam diferir, as habilidades e técnicas necessárias para obtê-la são semelhantes. Então, o que diferencia uma boa apresentação de uma ruim? Como você pode subir o seu jogo na frente do púlpito? E ser capaz de impressionar um público realmente tão importante?

A resposta a essa última pergunta é um enfático sim, diz Susan McConnell, neurobióloga da Universidade de Stanford, na Califórnia, que dá palestras sobre dar palestras há mais de uma década. “O objetivo de fazer ciência é poder comunicá-la aos outros”, diz McConnell. “Seja para nossos colegas próximos, outros cientistas com interesse geral em nossa área ou para não-cientistas, a clareza de comunicação é essencial.”

ENVOLVA-SE COMO UM CAMPEÃO

Excelentes habilidades de falar em público não são suficientes para uma boa apresentação, mas ajudam. Em agosto, Ramona J. Smith, professora do ensino médio de Houston, Texas, foi coroada como Toastmasters 2018, campeã mundial de falar em público.

Estas são suas 10 principais dicas, que ela planeja delinear com mais detalhes em um e-book.

1 Seja você mesmo: as pessoas se relacionam e se conectam com a autenticidade.

2 Prepare-se, pratique e aperfeiçoe: livre-se de palavras muleta, como “um” e “você sabe”.

3 Descreva o que você está nos dizendo: use palavras vivas para ajudar o público a pintar um quadro.

4 variedade Vocal: mudar o seu tom, volume e tom para manter o público envolvido.

5 Estude os grandes:  observe o que os grandes oradores realmente fazem.

6 Obtenha feedback:  um público prático pode ajudá-lo a eliminar os erros.

7 Aparência: se você parecer bem, você se sentirá bem, o que irá ajudá-lo a dar um grande discurso.

8 Pausa: elas dão ao público tempo para pensar e os ajuda a se envolver.

9 Linguagem corporal:  use gestos e use o espaço para ajudar a transmitir sua mensagem.

10 Seja confiante: usar o seu rosto, linguagem corporal e postura para ganhar o palco.

Nem todos os pesquisadores reconhecem o valor de se afastar do laboratório para contar aos colegas sobre seu trabalho. “Alguns têm a ideia de que, se você está gastando tempo dando uma palestra, está gastando tempo em marketing, o que poderia ser melhor gasto fazendo ciência”, diz Dave Rubenson, co-fundador da nobadslides.com, empresa sediada em Los Angeles, que oferece cursos sobre apresentações eficazes de slides. “Na verdade, o processo de criar uma palestra convincente e fazer com que seu público entenda isso melhora tanto a sua compreensão quanto a deles e é fundamental para a própria ciência.” Além disso, Rubenson diz que se apresentar em conferências é uma ótima maneira de atrair o público. Colaboradores que podem ajudá-lo a abrir novos caminhos e avançar em sua carreira, mas somente se aqueles que estiverem ouvindo entenderem o que estão sendo mostrados.

Eles precisam saber desde o início por que eles deveriam se importar com o que você está dizendo. Qual é a ‘história’ no coração da sua apresentação? Criar um resumo conciso de sua palestra, sobre o qual você pode adicionar complexidade, é um ponto de partida melhor do que ponderar qual arquivo de 500 slides você pode deixar de fora, diz Rubenson.

Os apresentadores geralmente falham porque tentam fornecer informações complexas demais. A linguagem e o conteúdo, normalmente, devem ser projetados para um não especialista. “Você precisa pensar na pessoa menos conhecedora do seu público que você deseja alcançar”, diz Rubenson.

Outro erro comum é o uso de slides como “depósito de dados”. Lembre-se daqueles momentos em que você deu uma olhada em slides excessivamente movimentados, cheios pequenos gráficos e se perguntou por que o apresentador menciona apenas um deles? Tenha isso em mente ao projetar seus próprios slides. Softwares de animação que permitem adicionar informações aos slides enquanto você fala podem ajudar.

Acima de tudo, é importante manter o foco do seu público.

Diferentes métodos funcionam para pessoas diferentes. Aqui estão as dicas de Eileen Courtney para manter a calma no púlpito.

1 Pratique em um ambiente semelhante àquele em que você dará sua palestra.

2 Memorize frases-chave dentro de um esquema, em vez de aprender palavra por palavra.

3 Verifique se você está dentro do limite de tempo, então o relógio é uma coisa a menos para se preocupar.

4 Use algo com aparência profissional e confortável, não uma roupa nova.

5 Evite comer em excesso e limite a ingestão de café.

Você pode ajudar a evitar mentes perdidas incluindo slides de resumo no final das seções. “Você pode pensar em uma palestra como uma série de mergulhos de dados”, diz McConnell. “Você precisa ir para o ar periodicamente e dizer ‘isso é o que acabamos de aprender, esta é a conclusão e é assim que ela se conecta à próxima parte’”.

McConnell descreve essa e muitas outras maneiras de os pesquisadores melhorarem suas habilidades de apresentação científica neste vídeo. Outra fonte de conselhos é o livro Designing Science Presentations, do neurocientista americano Matt Carter. Enquanto estes oferecem pontos úteis, a maioria das pessoas acha que quando se trata de falar em público e apresentar, a prática faz, se não perfeita, certamente melhor.

Essa noção é fundamental para a Toastmasters International, uma organização sem fins lucrativos que ajuda as pessoas a melhorar suas habilidades de falar em público por meio de sua rede de mais de 16.000 filiais em 143 países. Em reuniões semanais ou quinzenais, os membros praticam discursos e dão feedback uns aos outros. Foi para a uma filial local que Eileen Courtney buscou ajuda no último verão, depois de perceber que suas habilidades de apresentação precisavam ser melhoradas. Parece que a decisão dela valeu a pena. Em maio, ela foi vice-campeã e favorita do público na competição 3 Minute Wonder, um desafio de comunicação científica conduzido pelo Instituto de Física de Londres, no qual os participantes têm um slide e 180 segundos para apresentar suas pesquisas a não-especialistas.

“Recentemente, tive de fazer outras apresentações e me acalmei muito, como resultado da participação em Toastmasters e do ensino como parte do meu doutorado”, diz Courtney. “À medida que você ganha mais experiência de falar diante de uma multidão, fica muito menos assustador”.

Adaptado de: Nature 564 , S84-S85 (2018)

doi: 10.1038 / d41586-018-07780-5

Este artigo faz parte do Nature Events Guide 2019 , um suplemento editorial independente.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s