Vamos falar sobre a Síndrome do Impostor!

Algumas das pessoas mais capazes, inteligentes e que trabalham mais duro sofrem de um fenômeno debilitador: uma distorção que faz com que elas pensem que são incompetentes, burras e preguiçosas. Além disso, elas pensam que estão “enganando” as pessoas quando conseguem alcançar seus objetivos e, um dia, serão descobertos e expostos à vergonha.

Esses são alguns sintomas da  Síndrome do Impostor, que tem sido o assunto principal de vários livros e ensaios por psicólogos e educadores.

As vítimas da Síndrome do Impostor são pessoas que jamais creditam seu sucesso à inteligência, competência ou habilidade pessoal. Elas se convencem de que os elogios e reconhecimento de outros em relação à sua conquista não são merecidos, atribuindo suas realizações à sorte, a algum encanto repentino, contatos ou outros fatores externos.

As pessoas que sofrem este tipo de síndrome, de forma permanente, temporária ou frequente, parecem incapazes de internalizar os seus feitos na vida. Não importando o nível de sucesso alcançado em sua área de estudo ou trabalho, ou quaisquer que sejam as provas externas de suas competências, essas pessoas permanecem convencidas de que não merecem o sucesso alcançado e que de fato são nada menos do que fraudes.

É comumente encontrada no mundo acadêmico, especialmente entre estudantes de mestrado e doutorado. A síndrome do impostor é um problema frequente entre alunos com bom desempenho que se encontram rodeados de outros como eles.

Frequentemente ciêntistas têm a sensação de que não mereciam um artigo naquela revista consagrada. Que seus co-autores se dedicaram mais do que eles próprios. Que não têm competência para dar a palestra para a qual foram convidados num congresso e subir no palco só exporá quão despreparados são. Sentem que não merecem o título, a vaga de emprego ou o aceite do artigo. Mesmo que exista um histórico de realizações.

Independente do padrão de funcionamento, as pessoas com essa síndrome apresentam sistematicamente comportamentos autossabotadores, de modo que prejudicam a sua performance, os resultados almejados e a percepção sobre eles.

Seja qual for a causa, a Síndrome do Impostor pode criar problemas reais no seu trabalho e até em sua vida pessoal. Aqueles que lidam com o problema tendem a apresentar os seguintes comportamentos:

a) Dificuldade em aceitar elogios como sendo natural e de forma genuína;

b) Sentir que outras pessoas com as mesmas responsabilidades são de alguma forma mais qualificada, ou melhor, do que você;

c) Tem medo de novas responsabilidades e desafios, porque eles mostrarão seu fracasso;

d) Reação anormal à crítica construtiva;

e) A ansiedade e medo dos outros enxergaram e descobrirem sua falta de habilidade;

f) Você se tornou um workaholic e trabalha extraordinariamente para encobrir sua ‘suposta’ inaptidão e incapacidade;

g) Você se transformou em um funcionário burocrático e não se esforça para nada além da sua obrigação.

h) Costuma boicotar entrevistas de emprego, chega atrasado no trabalho e não se prepara corretamente para uma atividade importante.

Como em qualquer problema que temos na vida, é preciso buscar ajuda e formas de solucionar, de preferência, especializada no assunto!

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s